27 Junho, 2019Arrecadação de municípios goianos cresce

O desenvolvimento da economia goiana, com a forte política de atração de investimentos privados, fez que a arrecadação de ICMS de Goiás entre 1993 e 2017 crescesse acima da média dos Estados do Centro-Oeste e ultrapassasse a do Pernambuco (com quem disputa o posto de nona maior economia do País).  É algo que tem favorecido vários municípios do interior de Goiás, especialmente aqueles em que tem investido no desenvolvimento de um forte polo industrial com a atração de investimentos privados, incentivados pelos programas Fomentar e Produzir, nas últimas décadas. É o que aponta estudo realizado por economistas das Faculdades Alfa.

Um indicador disto é o significativo crescimento na arrecadação do ICMS gerado pelas empresas nestas cidades:

Anápolis: arrecadação do imposto estadual aumentou de R$ 128 milhões (2000) para R$ 1,071 bilhão (2017), crescimento de 736%.
Aparecida de Goiânia: a arrecadação saltou de R$ 32,2 milhões (2000) para R$ 722,7 milhões (2017), aumento de 2.150%.
Catalão: a arrecadação aumentou de R$ 37,5 milhões (2000) para R$ 247 milhões (2017), crescimento de 560%.
Itumbiara: arrecadação cresceu de R$ 42,1 milhões (2000) para R$ 182,9 milhões (2017), aumento de 335%.
Jataí: arrecadação saltou de R$ 21 milhões (2000) para R$ 95,7 milhões (2017), aumento de 355%.
Rio Verde: arrecadação cresceu de R$ 36,5 milhões para R$ 292,9 milhões (2017), salto de 700%.
Senador Canedo: arrecadação aumentou 1.100%, de R$ 243,2 milhões (2000) para R$ 2,834 bilhões (2017)
A arrecadação do Estado sobre as indústrias, apenas com ICMS, cresceu 169% entre 2007 e 2017, segundo o estudo dos economistas das Faculdades Alfa. O crescimento médio nacional foi de 141% neste mesmo período. As indústrias são o segundo setor econômico que mais arrecada ICMS em Goiás, atrás apenas das distribuidoras de combustíveis (sobre o qual incide a maior alíquota do imposto estadual, de 29%).

As 15,8 mil indústrias em Goiás recolheram R$ 6,5 bilhões em ICMS em 2016, 45,5%% do total arrecadado com o imposto estadual naquele ano. As 532 indústrias incentivadas em Goiás recolheram R$ 3,8 bilhões, 28,8% do total arrecadado com o ICMS em 2016 no Estado e 59,8% do total recolhido pelo setor industrial goiano naquele ano.

As 15,3 mil indústrias que não têm benefício fiscal recolheram R$ 2,675 bilhões do imposto estadual em 2016, média de R$ 175 mil por cada empresa. Já cada indústria incentivada em Goiás pagou em média R$ 7,2 milhões de ICMS naquele ano.

Fonte: ADIAL